Jovens precisam da primeira oportunidade de emprego (Foto: Thaís Luz)

Reforma Trabalhista altera a entrada de aprendizes nas empresas

17/11/2017 - Por Karime Vilela

Reforma Trabalhista de 2017 merece a atenção dos jovens. A Lei nº 13.467 modifica o número de aprendizes no corpo empresarial. O advogado trabalhista Elizeu Antonio da Silveira Rosa explica que as empresas eram obrigadas a contratarem aprendizes, de acordo com o número de funcionários que possuíam. Com a nova lei, o empresário pode atestar que os jovens não possuem formação suficiente para ocupar determinado cargo na corporação, afirma o advogado.

Christian Moura, 21, acredita que a oportunidade de ser aprendiz agrega para o jovem. “É a chance de adquirirmos experiência, e conseguir trilhar um caminho a partir disso”. Christian ainda comenta que as empresas deveriam aumentar o número de vagas para adolescentes, que assim mais pessoas poderiam ser beneficiadas.

A assistente social Ana Paula Farias coloca em questão a importância de o jovem estar empregado nessa fase. “Com isso o adolescente amadurece, não entra em caminhos errados, e o país necessita de políticas públicas voltadas para esse público”. Sabendo que terão uma renda todo mês para poderem se divertir ou custear seus estudos, trabalhar faz com que os aprendizes tenham uma perspectiva melhor do futuro.

Elizeu acrescenta que a sociedade em geral precisar gerar formas de incluir o jovem em ambientes de trabalho, de maneira digna e que ofereça condições dele sonhar e querer crescer profissionalmente. “Somente os que são preocupados com o futuro desses meninos abrirão as portas”. A lei que vigora atualmente, em muitos casos zera a possibilidade de inserção de adolescentes no mercado, destaca o advogado.