Roberta busca nos estudos a oportunidade de crescer (Foto: Cedida)

Primeiro emprego possibilita a independência nos adolescentes

14/11/2017 - Por Michele Santos

A juventude é a idade de conquistas, sonhos, responsabilidades, paqueras, amizades e também é o momento de procurar um espaço dentro do mercado de trabalho. Muitos deles investem no programa de qualificação do aprendiz para conseguir a primeira oportunidade.

Um exemplo é o office boy, Addison Xavier, 18, um jovem com modo de visão diferente, se alguma coisa está errada ele tenta arrumar, é dedicado e busca sempre surpreender as pessoas.  Ele conta que entrou para a entidade e depois de um ano conseguiu o primeiro emprego. “Eu trabalho em uma distribuidora de alimentos, ajudo no carregamento, aprendo como funciona a exportação e busco manter o local limpo e organizado”, explica.

Dedicação é a palava-chave na vida profissional de jovem (Foto: Cedida)

Muitos ficam nervosos, tímidos, com medo, inseguros e ansiosos na hora da entrevista, porém, com o aprendizado acabam tirando de letra e se destacam. Xavier lembra que ficou feliz e agradece toda a preparação recebida. “O meu primeiro salário eu dei para a minha mãe, queria retribuir tudo que ela me deu. É uma sensação de alegria saber que é independente, ter seu próprio dinheiro e ajudar em casa”.

Outro modelo é a recepcionista do hospital, Roberta Oliveira, 16, uma adolescente que se sente realizada por conseguir a primeira oportunidade em um local que pode crescer profissionalmente. Pretende cursar biomedicina, se especializar, prestar concurso para perícia criminal e ainda fazer medicina. “No meu serviço eu faço fichas de atendimento médico, de internações e exames, também passo informações para os pacientes.A instituição me ajudou com isso, tanto dentro como fora do serviço, além de formar nossa identidade e fazer com que alcancemos os nossos objetivos”, relata.

Início de carreira, aumenta esperança do adolescente
em ir mais longe no futuro (Foto: Cedida)

“É uma sensação maravilhosa e de satisfação quando consegue o primeiro emprego. Você vê que aos 15 anos já está trabalhando, percebe aonde já chegou e que pode ir mais longe” são esses os sentimentos do auxiliar de caixa em um supermercado, Ryan Pablo. Ele está trabalhando há sete meses, gosta do serviço e tenta sempre mostrar o seu melhor, ainda relata que a cada dia vive momentos marcantes e de aprendizagem tanto na instituição como no trabalho. 

A coordenadora da entidade, Márcia Oreste acredita que os que aproveitam a chance têm um futuro promissor. “A questão do primeiro emprego me marca muito, saber que fiz parte dessa história e pude contribuir de alguma forma, tento passar uma base para eles verem como é lá fora e é muito importante saber que a Aprata está rendendo bons frutos”, relata.