Família significa tudo e se resume amor para dona Ligia (Foto: Cedida)

Apoio familiar promove melhor desempenho dos jovens

10/11/2017 - Por Michele Santos

A família desempenha um papel importante no processo de formação dos jovens, principalmente os que estão ingressando no mercado de trabalho. Ela é a base e alicerce de tudo na vida deles e cabem aos responsáveis saberem orientar, apoiar e mostrar o caminho correto a seguir.

Os pais que acompanham seus filhos permitem aos jovens um desempenho e comportamento bem melhor do que os que não recebem nenhum apoio, explica a assistente social Ana Paula Farias. A psicóloga, Viviane Franco acrescenta que a contribuição familiar na adolescência é essencial, já que muitos passam por conflitos, dúvidas e inseguranças. A falta de apoio pode muitas vezes impedi-los de seguirem os seus próprios desejos em relação à carreira profissional.

O aprendiz, Bruno Reis, 18, que trabalha a três meses na parte de embalagem do frigorífico BetterBeef e cursa matemática na Universidade Estadual Paulista, é um exemplo desse apoio. “Meus pais me incentivam da melhor maneira possível, seja dando conselhos, orientando e me apoiando em várias decisões, já que por ser muito novo posso escolher algo errado”.

Ele entrou na instituição por indicação de sua irmã, que também estudou no local. Hoje ela trabalha no escritório do mesmo frigorífico, emprego que adquiriu desde os tempos de jovem aprendiz. Segundo seus pais a Aprata possui grande significado para a família, pois ajudou tanto ele quanto a irmã e muitos outros jovens a conseguirem o primeiro emprego. Eles ainda esclarecem que buscam sempre apoiar e ensinar seus filhos, seja em relação a honestidade, humildade e educação.

Para dona Ligia Reis, 48, mãe do Bruno, a associação é vista como algo que impulsiona os adolescentes ao mercado de trabalho de uma forma bem organizada, já que, para um menor de idade hoje em dia conseguir um emprego é complicado. Ela acrescenta que o trabalho da organização é uma forma de ajudar a sociedade e por isso até se tornou sócia do local. “Eu quis ajudar um dia quem me ajudou e abriu as portas do primeiro emprego para os meus filhos, então faço o que posso e peço a Deus que esta porta nunca se feche”, relata.