Trabalho estimula a criatividade e competitividade entre os aprendizes (Foto: Thaís Luz)

Competições estimulam agilidade e prática da língua portuguesa

10/10/2017 - Por Michele Santos

Com aulas bem dinâmicas, as turmas de capacitação dos cursos de Informática e Comunicação e Linguagem estão desenvolvendo na prática toda a teoria aprendida em sala de aula. Os alunos estão participando de uma competição de digitação e do projeto Soletrando.

Segundo o professor de Informática, Caio Gharib, a atividade de digitação serve como estímulo a competitividade. O trabalho busca o foco da turma, capacidade de concentração e coordenação motora diante a necessidade da digitação. “Os conteúdos são sobre hardware e digitação, abrangendo desde o entendimento do jogo virtual utilizado para atividade até a postura corporal para desenvolver o trabalho”, esclarece. 

Cada turma se divide em dois grupos, um que irá competir e outro que irá ajudar os competidores. “São 120 palavras no jogo, conforme o competidor digita as palavras, a próxima vem em maior velocidade e assim por diante. A turma que conseguir chegar mais longe com maior número de alunos vence, explica o professor.” A menor aprendiz, Karen Rosa, 14, está participando da competição e relata que é bem interessante e diferente, além disso, sua turma está indo muito bem.

Sobre o projeto Soletrando, o professor de Comunicação e Linguagem, João Paulo Santos, conta que o objetivo é criar maior interesse pela língua portuguesa, seja no estudo das sílabas tônicas, aumento de vocabulário, despertando a criatividade, busca pela leitura ou conhecimento de palavras novas e já conhecidas.

Ele explica que essa dinâmica faz com que desperte neles a competitividade, dedicação à leitura, além da compreensão da língua portuguesa. “Eu sorteei um número chamando à frente o aluno correspondente e ele ficou em pé de frente para os juízes, que são os professores com as palavras para soletrar”. Serão oito finalistas, dois de cada sala, ao final quem errar será eliminado automaticamente. O concorrente deve soletrar a palavra no máximo dois minutos.

A coordenadora Márcia Oreste esclarece que eles já fizeram a pré-seleção dentro da sala de aula. “Da turma do João já temos dois finalistas de cada sala e do Caio é a competição entre as salas que ocorrem nos dias 19 e 20 de outubro, na própria instituição”. Está previsto um passeio no shopping em Presidente Prudente com a sala ganhadora e os dois alunos vencedores.

Ela ainda conta que o objetivo dessas dinâmicas é possibilitar uma atividade mais prática, trabalhando a questão de integração, pois muitas vezes ficam apenas nas turmas deles e assim eles se conhecem entre si, criam uma relação interpessoal, apresentação, postura, competições que ocorrem muito no mercado de trabalho. Para a menor aprendiz, Tauana Melo, 15, é muito importante esse método adotado, ela aprende a lidar com competição, conhece mais as turmas, além de se desenvolver cada dia mais. 

Alunos aprendem a teoria e colocam em prática o conteúdo visto em sala de aula (Foto: Thaís Luz)